Bispo Dom José Ronaldo e padres são soltos após 30 dias presos em penitenciária

Eles são acusados de participar de um esquema de desvio de dízimos de fiéis

Publicado em por

Bispo Dom José Ronaldo e padres são soltos após 30 dias presos em penitenciária


Presos desde o dia 19 de março, foram soltos um bispo, quatro clérigos e dois empresários.

Eles foram presos durante uma operação contra o desvio de dizimo dos fiéis.

A soltura aconteceu na noite de terça-feira (17), após uma concessão de habeas corpus pela justiça.

O bispo Dom José Ronaldo, foi acusado de liderar o esquema de desvio de dizimo da Diocese de Formosa, no Distrito Federal.

Como laranjas foram apontados o monsenhor Epitácio Cardozo Pereira, os padres Moacyr Santana, Mário Vieira de Brito, Waldson José de Melo, e os empresários Antônio Rubens Ferreira e Pedro Henrique Costa Augusto.

+ Padre Gregory Greiten confessa perante igreja que é gay e é ovacionado

Segundo o advogado dos acusados, uma análise no habeas corpus foi feita, e a decisão foi unânimes na 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

Os envolvidos foram libertos, mas tiveram os passaportes retidos e deverão comparecer ao juiz uma vez por mês.

Em março a Operação Caifás, foi deflagrada pelo Ministério Público e chegou a prisão dos acusados.

Além do desvio de dizimo, a investigação apurou que o grupo se apropriava de dinheiro de doações, arrecadações para festas realizadas por fiéis e taxas de eventos, como o batismo e casamentos.

Pra se ter noção, desde a chegada do bispo Dom José Ronaldo a Diocese, em 2015, as despesas da casa episcopal subiram de R$ 5 mil para R$ 35 mil.

Em sua saída da penitenciária, além de sorridente e abençoando a todos os presentes, o bispo foi recebido com festa por parentes e amigos.





Copyright © Beenla Networks LTDA. Todos os direitos reservados.