Entenda o caso envolvendo Pastor Marcus Gregório e Ministério apascentar

Na mira da polícia está o Pastor Marcus Gregório e sua igreja, o Ministerio Apascentar de Nova Iguaçu


Publicado em: 20/01/18 às 16:07 por Micael Batista | Atualizado em 20/01/2018 às 16:07


Uma operação deflagrada nesta última quarta-feira(17) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, batizada de “Fantoche” está investigando um grande esquema de corrupção envolvendo a venda ilegal de vale-transportes e lavagem de dinheiro.
Na mira da polícia está o Pastor Marcus Gregório e sua igreja, o Ministerio Apascentar de Nova Iguaçu, que estão sendo acusados de receber 400 mil proveniente desse esquema.
Um total de 130 empresas estão sob investigação da polícia e a igreja também.
A fraude se dava pelo fato deles comprarem vale-refeições de trabalhadores mas não pagam integralmente, pois a operação custaria um valor sobre o vale.
Já a igreja, segundo informações da Delegacia de Defraudações, entraria no esquema para lavar o dinheiro.
No meio da investigação surgiu um empresário de cosméticos que em posse das contas da igreja, fazia todo processo fraudulento, que movimentou 400 mil em apenas 2 meses de investigação.
A delegacia expediu cerca de 9 mandados busca e apreensão nos locais suspeitos.
Os mandados foram expedidos para cumprimento na um deles para a baixada fluminense onde está situada a igreja do pastor Gregório.
Marcus Gregório desmentiu tais acusações sobre ele e sua instituição e disse que são calúnias e que tais acusações são infundadas, “totalmente mentirosas” e garantiu que “não deve nada”, e que sua renda provém de seu salário de pastor presidente do Ministério Apascentar que fundou, e que é o seu “direito”, e diz que suas contas, sigilo bancários e fiscal podem ser.
“Me liga, me chama, que eu vou entregar. Por que? Não devo nada. Não devo absolutamente nada”, ressaltou.
O Marcus Gregório afirma ainda que não será intimidado por tais acusações e que acredita que a justiça “vai prevalecer”.
A Igreja De Marcus Gregório, Ministério Apascentar começou 1994 em Nova Iguaçu na baixada fluminense no Rio de Janeiro e se tornou conhecida nacionalmente pelo lançamento do grupo musical Toque no altar que lançou dezenas de sucessos gospel que embalaram o louvor de muitas igrejas, liderada pelo então ministro Davi Sarcer, que depois seguiu carreira solo.
A igreja tem aproximadamente 3000 mil membros e é o point gospel da baixada fluminense.




Mais lidas

Mais artigos

Evangélico; Wesley Safadão vai à igreja mesmo com uma agenda de 25 shows por mês

O cantor ainda é muito criticado por ainda atuar no meio secular depois da sua conversão


Padre pede liberdade de Lula e depois se desculpa

O caso foi registrado no último domingo (21) durante a celebração de uma missa.


Após abandonar música gospel; Tonzão diz estar muito endividado e pede orações

O anuncio da falta de dinheiro foi feito numa das redes sociais do cantor, que deixou o gospel no final de 2017.


Igrejas de SP podem ficar isentas de taxas | Câmara já aprovou

O projeto foi votado e aprovado, agora segue pra sanção do prefeito João Dória


Igreja de R.R Soares deve quase R$15 Milhões à União |

Segundo levantamento, passa de R$900 milhões a dívida de entidades religiosas com o Governo


Presidente – Michel Temer pede orações após descobrir doença

Assessores de Temer estão pedindo que os pastores levantem um clamor pela vida do presidente


Magno Malta se irrita e ameaça processar a TV Senado –

O Senador insistiu que o câmera focasse na foto que ele segurava enquanto discursava


Cantor gospel | morre eletrocutado durante evento em igreja

Ele encostou em um fio desencapado e recebeu uma forte descarga. Foi levado ao hospital e faleceu.


Site lança biografia polêmica da cantora gospel Flordelis

A carreira música e política de Flordelis também é destacada no texto, que já recebeu duras críticas.


Veja | quais são as 7 músicas gospel que ficarão para história

Confira a lista das músicas gospel que marcaram nossa geração